sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Filo Arthropoda

Os artrópodes são animais cuja principal característica é a presença de apêndices articulados, ou seja, articulação dos membros locomotores, pés e pernas. Reúnem mais de 1 milhão de espécies catalogadas, com outras inúmeras a serem descobertas.

Esses organismos possuem ampla dispersão geográfica, habitando os mais distintos ambientes: aéreo, terrestre e aquático, cada qual adaptado às condições adversas do ecossistema a que pertencem.

Tamanha diversidade e distribuição são atribuídas à presença anatômica de um exoesqueleto quitinoso (polissacarídeo / açúcar nitrogenado), substância secretada por células da epiderme, sendo um aspecto evolutivo determinante quanto à existência deste ao longo da evolução.

Atualmente, o Filo Arthropoda é subdividido em três subfilos, de acordo com a organização corporal, presença e número de antenas e número e tipos de apêndices torácicos, sendo:

Subfilo Crustacea (crustáceos) → camarões, caranguejos, cracas e lagosta;

Subfilo Chelicerata (quelicerados) → escorpiões, aranhas, ácaros e carrapatos;

Subfilo Uniramia (unirrâmios)→ formigas, libélulas, baratas, mosquitos, gafanhotos, abelhas, traças, piolho-de-cobra (diplópodes), lacraia e centopéia (quilópodes).



Principais características dos artrópodes:

São animais metamerizados (corpo segmentado), triblásticos (com três folhetos germinativos), celomados (cavidade geral do organismo) e simetria bilateral.

- Sistema digestivo completo;
- Sistema circulatório aberto;
- Sistema respiratório diversificado: branquial, traqueal e pulmonar ou filotraqueal;
- Sistema excretor realizado por glândulas verdes, túbulos de malpighi ou glândulas coxais;
- Sistema nervoso constituído por vários gânglios nervosos fundidos;
- Sistema sensorial formado por olhos simples ou compostos e sensores táteis e químicos.
- A reprodução é sexuada, sendo as espécies dióicas com fecundação interna ou externa. O desenvolvimento e direto ou indireto, com metamorfose gradual (hemimetábolos) ou completa (holometábulos).




Crustáceos – organismos dotados de cefalotórax e abdome, cinco pares de membros locomotores inseridos no cefalotórax e dois pares de antenas. A maioria é de vida livre viventes em ambientes aquáticos (água doce ou salgada), poucas espécies são terrestres, necessitando de considerável umidade para sobreviver.

Quelicerados – corpo dividido em cefalotórax e abdome, sem antena, quatro pares de pernas articuladas ao cefalotórax. A maioria dos representantes é terrestre.

Unirrâmios – estrutura corporal dividida em cabeça, tórax e abdome, um par de antenas, três pares de pernas locomotoras localizadas no tórax.


Veja o vídeo: Historias da vida na Terra Episodio 2 Artropodes

Cnidários

Com certeza você já deve ter ouvido falar ou já presenciou alguém sofrendo uma queimadura causada por água-viva em alguma praia. A água-viva e demais cnidários são animais muito interessantes que habitam nossas águas e tem características muito peculiares, vamos verificar algumas delas:

O filo Cnidaria (do grego knidos, irritante, e do latim aria, sufixo plural), que são os animais aquáticos conhecidos popularmente como celenterados ou cnidários, de que fazem parte as hidras de água doce, medusas, alforrecas ou águas-vivas, que são normalmente oceânicas, os corais, anémonas-do-mar e as caravelas.

O filo era também chamado Coelenterata (das palavas gregas "coela", o mesmo que "cela" ou "espaço vazio" e "enteros", "intestino"), que originalmente incluía os pentes-do-mar, atualmente considerado um filo separado, composto por animais também gelatinosos como as medusas, mas com características próprias.
Neste filo se enquadram os animais mais inferiores dentre os que já possuem tecidos bem definidos com alguma organização de sistemas. Eles possuem um esboço de sistema nervoso difuso (uma rede de células nervosas pelo corpo) e gônodas, isto é, órgãos produtores de gametas. Também possuem células epitélio-musculares de cuja contração resultam os movimentos rápidos do corpo.

O filo Cnidário (cnidários) está representado pelas hidras, medusas ou água-vivas, corais e anêmonas-do-mar.


Os cnidários são os primeiros animais a apresentarem uma cavidade digestiva no corpo, fato que gerou o nome celenterado, destacando a importância evolutiva dessa estrutura, que foi mantida nos demais animais. A presença de uma cavidade digestiva permitiu aos animais ingerirem porções maiores de alimento, pois nela o alimento pode ser digerido e reduzido a pedaços menores, antes de ser absorvido pelas células.

Eles são os primeiros animais na escala evolutiva a apresentarem tecidos verdadeiros, embora ainda não cheguem a formar órgãos.

No filo cnidária existem basicamente dois tipos morfológicos de indivíduos: as medusas, que são natantes e os pólipos, que são sésseis. Eles podem formar colônias, como é o caso dos corais (colônias sésseis) e das caravelas (colônias flutuantes).

Anatomia
Possuem distribuição nervosa confusa no corpo do animal, o que o torna compativel com a simetria radial.
Ao redor da abertura os celenterados ostentam um anel de tentáculos com células urticantes, os cnidócitos, capazes de ejecular um minúsculo espinho, o nematocisto que pode conter uma toxina ou material mucoso. Estes "aparelhos" servem não só para se defenderem dos predadores,mas também para imobilizarem uma presa, como um pequeno rato, para se alimentarem - os cnidários são tipicamente carnívoros. Algumas células da gastroderme da cavidade central o celêntero segregam gosmas digestivas, enquanto que outras absorvem a matéria digerida. Na mesogleia, encontram-se dispersas células nervosas e outras com função muscular que promovem o fluxo de água para dentro e fora da cavidade central.

Os cnidários apresentam polimorfismo, ou seja, possuem duas formas corporais possíveis: o pólipo e a medusa.

Os pólipos têm corpo cilíndrico, fixo a um substrato. A boca é situada na região superior, rodeada de tentáculos, com grande concentração de cnidócitos. Já as medusas são livre e natantes, sua boca se situa no centro da face inferior do corpo, que também é rodeada de tentáculos urticantes de efeito paralisante em pequenos animais, funcionando como forma de predar ou como maneira de se defender.

Ciclo de Vida

Os cnidários reproduzem-se sexuada e assexuadamente. A reprodução sexuada dá-se na fase de medusa, com exceção dos antozoários (os corais e as anêmonas-do-mar), das hidras e algumas outras espécies que não desenvolvem nunca, a fase de medusa: os machos e fêmeas libertam os produtos sexuais na água e ali se conjugam, dando origem aos zigotos.

Dos ovos saem larvas pelágicas chamadas plânulas, em forma de pêra e completamente ciliadas que, quando encontram um substrato apropriado, se fixam e se transformam em pólipos. Em alguns celenterados, como os corais, a fase de pólipo é a fase definitiva.

Os pólipos reproduzem-se assexuadamente formando pequenas réplicas de si mesmos por evaginação da sua parede, chamadas gomos. No caso dos corais, estes novos pólipos constroem o seu "esqueleto" e continuam fixos, contribuindo para o crescimento da colônia.

No entanto, em certos casos, os gomos dividem-se em discos sobrepostos, num processo conhecido por estrobilação, sendo esta também uma forma de reprodução assexuada. Estes discos libertam-se, dando origem a pequenas medusas chamadas éfiras que eventualmente crescem e se podem reproduzir sexuadamente.

Organização Corporal

Os celenterados podem apresentar-se sob duas formas: pólipos ou medusas.


Pólipos. Têm o corpo cilíndrico e vivem geralmente fixos, por exemplo, numa rocha. Na sua extremidade livre, apresentam tentáculos em volta da boca.

Medusas. Têm o corpo em forma que lembra um guarda-chuva. Seus tentáculos se distribuem ao longo da margem do corpo, no centro do qual fica a boca. Nadam livremente, embora geralmente de maneira limitada, ou são carregadas pelas correntes de água.

Abaixo você pode assistir a um pequeno vídeo sobre medusas gigantes, muito comuns no japão.

O corpo dos celenterados possui uma única abertura - a boca. Essa abertura fica em contato com uma cavidade denominada cavidade digestória.

A parede do corpo é revestida externamente pela epiderme. Algumas células epidérmicas apresentam-se modificadas: são os cnidócitos. Observe o esquema:


Cada cnidócito possui uma cápsula - o nematocisto - que abriga em seu interior um tubo filamentoso enovelado, portador de um líquido urticante. O nematocisto contém ainda um cílio sensorial que atua como um "gatilho": ao ser tocado, o nematocisto "dispara" o filamento urticante e injeta o veneno no corpo de presas ou de predadores, por exemplo, podendo causar-lhes sérios ferimentos e até mesmo a morte. Para tanto, é necessária a ação conjunta de muitos cnidócitos. Assim, os cnidócitos servem para a captura de alimentos ou para a defesa do animal.

Quando uma presa é capturada, ela é levada até a boca do animal e chega até a cavidade digestória. Nessa cavidade, o alimento é parcialmente digerido e depois absorvido por determinadas células, no interior das quais a digestão se completa. Por isso se diz que a digestão nos celenterados é extracelular (na cavidade digestória) e também intracelular (no interior de células). Os resíduos não aproveitados são eliminados através da boca.

No vídeo abaixo você pode perceber a captura de um rotifera por uma hidra, usando seus tentáculos cheios de cnidoblastos.


Principais classes
Hidrozoários



- Hidras: São hidrozoários com o corpo em forma de pólipo. Vivem em água doce, preferencialmente em águas frias e limpas, presas por uma extremidades a uma rocha ou a vegetação aquática.
Têm cor verde, parda ou cinza. Algumas hidras podem se locomover dando "cambalhotas".




- Caravelas: São colônias formadas principalmente por vários pólipos transparentes que como um todo, ficam flutuando sobre a água dos oceanos. Na colônia, grupos diferentes de pólipos desempenham funções diferentes. Uns promovem a digestão dos alimentos, alguns a reprodução, outros a proteção de toda a colônia, por exemplo.

Caravela, organismo colonial. Vivem em alto-mar e possui longos tentáculos de até 20 metros ou mais. As substâncias urticantes que fabrica podem causar sérias queimaduras em seres humanos.



Cifozoários
- Águas Vivas: Têm o corpo em forma de medusa. Seu tamanho varia muito de uma espécie para a outra. Algumas podem ter alguns milímetros de diâmetro, enquanto outras têm mais de dois metros de diâmetro. Certas águas-vivas do gênero Cyanea, que vivem no oceano Ártico, possuem tentáculos de até 30 metros de comprimento.





Antozoários
- Actínias ou anêmonas-do-mar: Têm o corpo em forma de pólipos. Possuem cores e tamanhos variados, medindo desde alguns milímetros até um metro ou mais de diâmetro. São encontradas fixas a um suporte: uma rocha, um pedaço de madeira ou carapaças de outros animais.



Curiosidades

O peixe-palhaço ou anfitrião passa todo o tempo perto das anêmonas-do-mar. Ele se esconde do perigo e dorme no meio dos tentáculos venenosos da anêmona. Às vezes, chega mesmo a roubar alimento da boca de sua protetora, embora também traga comida para um lugar onde ela alcance. Este pequeno peixe, ao contrário de outros, está a salvo dos ferrões da anêmona.
O motivo pelo qual o peixe-palhaço não sofre os efeitos das células urticantes da anêmona ainda não é bem conhecido. Alguns cientistas acreditam que o muco que recobre o peixe protege-o contra o veneno. Entretanto, somente os peixes-palhaços sadios estão protegidos. Os doentes são mortos pela anêmona.
O peixe-palhaço ou anfitrião é encontrado nos oceanos Atlântico e Pacífico. É pequeno, ágil e de colorido brilhante. A fêmea põe seus ovos na base de uma anêmona-do-mar.


Corais

Os corais organizam-se me colônias de pequenos pólipos que fabricam um exoesqueleto ou esqueleto externo calcário. Assim como acontece com as caravelas, nas colônias de corais verifica-se a divisão de trabalho entre os seus integrantes, com alguns grupos capturando alimentos, outros promovendo a reprodução, e assim por diante.
Os corais apresentam as mais variadas cores, como vermelho, branco, rosa, laranja ou amarelo. Por isso são bastante utilizados na decoração de aquários e até na fabricação de jóias. Vivem, em geral, em águas com temperaturas médias anuais entre 20 e 25ºC e a profundidade de aproximadamente 35 metros. Entretanto, já foram encontrados alguns corais vivendo em grandes profundidades.
Quando morrem, seus esqueletos permanecem intactos e servem de suporte para outros pólipos da colônia, formando, assim, os recifes de corais. Em muitos casos, esses recifes oferecem perigo as embarcações, constituindo verdadeiras armadilhas submarinas.
Veja este vídeo muito bacana com informações muito importantes.



Reprodução

A reprodução dos celenterados pode ser assexuada ou sexuada. Em muitas espécies ocorre alternância de fases sexuada e assexuada.

Assexuada. A reprodução assexuada ocorre geralmente por brotamento. Nesse caso, formam-se brotos em determinadas regiões do corpo do animal; cada broto se desenvolve e origina um novo indivíduo. Esse novo animal, pode se manter unido ao indivíduo que o originou, formando colônias, ou se destacar e apresentar vida independente.
Hidra apresentando um broto, que se destacará do organismo adulto, cairá no substrato e formará um novo indivíduo. No vídeo que está abaixo pode-se verificar com muita facilidade o processo de brotamento que dará origem a novas hidras.
Sexuada. Nesse caso, os gametas masculinos (espermatozóides) são liberados na água e nadam em busca de gametas femininos (óvulos). Dependendo da espécie, o óvulo também pode ser liberado na água ou permanecer aderido na superfície do corpo do animal em que foi produzido. Após a fecundação do óvulo, o zigoto formado se desenvolve formando um embrião. Em algumas espécies, o embrião origina diretamente um novo organismo semelhante aos pais. Em outras, o embrião origina uma larva móvel, ela nada e acaba se fixando em algum lugar, onde se transforma num novo indivíduo semelhante aos pais.
Alternância de fases assexuada e sexuada
Em muitas espécies de celenterados, a reprodução envolve a alternância de uma fase assexuada com outra sexuada. Destacaremos, para exemplificar, o que ocorre entre águas-vivas.

Na reprodução da água-viva, a fase sexuada acontece na forma de medusa, a fase mais desenvolvida do ciclo; a assexuada ocorre na forma de pólipo, que é reduzida.

Depois que os espermatozóides fecundam o óvulo, forma-se o zigoto, que se desenvolve e origina um embrião. Do desenvolvimento do embrião, forma-se uma larva que dará origem a um pequeno pólipo.

O pólipo cresce e reproduz-se assexuadamente; nesse processo seu corpo forma vários fragmentos que se destacam dele. Cada fragmento pode originar uma medusa jovem, que se desenvolve originando um indivíduo adulto.

Reprodução sexuada da hidra. Observe que o embrião se desenvolve inicialmente no corpo feminino; depois de algum tempo ele se destaca da mãe e origina uma nova hidra.

Esta postagem é uma adaptação do trabalho “Cnidários, seres que queimam”, gentilmente cedido pelos alunos da turma de terceiro ano da tarde da escola Dr. Agostinho Monteiro, sua versão original está disponível para download, assim como uma apresentação em power point para melhorar seu estudo, basta clicar abaixo.

AGORA É SUA VEZ: você já viu ou ouviu falar de alguém que foi vítima de uma água-viva? Comentes sobre isso. Assista também ao documentário "Recifes precisosos", está dividido em partes e vale a pena ver, trás ótimas informações e curiosidades que darão a você maior aprofundamento deste assunto tão interessante. Aguardo seu comentário.



Sexualidade


Existem muitas formas de definir o que é sexualidade, por isso escolhemos aqui a maneira mais fácil de ser entendida por todos:           
           
Sexualidade é essa necessidade de receber e expressar afeto e contato, que todas as pessoas têm e que traz sensações prazerosas e gostosas para cada um. Assim, sexualidade não é apenas sexo, é o toque, o abraço, o gesto, a palavra que transmite prazer entre pessoas e que temos desde antes de nascer, na barriga da mãe, quando bebês e durante toda a vida. Conforme vamos crescendo, descobrimos também o prazer provocado pelo contato sexual, através do estímulo que fazemos em nós mesmos ou com outras pessoas. Essa forma de exprimir a sexualidade vai se juntar às outras maneiras de contato que já vinhamos vivendo desde bebês, gerando a sexualidade adulta.


Quando Iniciar o Relacionamento Sexual?


   Não existe uma idade certa, nem um dia específico para se ter a primeira relação sexual.
   O importante é que a pessoa tenha vontade, se sinta segura para ter essa relação e também se sinta à vontade com a pessoa que estará se relacionando.
   Também é preciso que ela use formas de evitar uma gravidez que não deseje, além da transmissão de doenças sexualmente transmissíveis (DST) e aids.
   Por isso recomendamos que esteja bem informada sobre as formas de prevenção e converse com quem irá se relacionar para que ele também esteja, pois desde a primeira relação sexual já é possível engravidar e se contaminar com um DST ou com a aids.

Perguntas & Respostas

  O que é adolescência?
A adolescência é uma etapa de nossas vidas marcada por uma porção de transformações: no corpo, nos sentimentos, nas relações com os outros. É um tempo de conhecer, descobrir, experimentar. Todo o crescimento que acontece nessa fase tem um objetivo importante: o amadurecimento físico e emocional.
  Porque é importante conversar sobre sexualidade nessa fase?
As modificações corporais despertam novos desejos, sentimentos, medos e ansiedades. Na adolescência iniciam-se os namoros e o ficar. Tudo muda muito rápido, tão rápido que é difícil adaptar-se a essas transformações, o que gera insegurança.
Sabe-se que os adolescentes, no mundo inteiro, estão começando a vida sexual cedo, o que os deixa expostos  riscos como o de uma gravidez indesejada ou de contrair doenças sexualmente transmissíveis, como a AIDS.
A orientação e a informação podem minimizar tudo isso, e ajudar o adolescente a viver essa etapa com menos dúvidas e medo, permitindo, assim, um crescimento saudável e feliz.
Contudo, não é só sobre sexualidade que é importante conversar. Buscar informações e orientações sempre, sobre todos os assuntos que lhe despertem dúvidas e/ou interesse é fundamental.
  Qual a idade certa para começar a transar?
Não existe uma “idade certa” para começar a transar. O que existe é o melhor momento para cada pessoa. Cada um deve saber quando chegou a sua hora de iniciar  a vida sexual. É importante que essa seja uma decisão pessoal, madura, responsável, livre de influências ou pressões. Além disso, ao decidir que chegou a hora de Ter a primeira transa, deve-se escolher um método anticoncepcional, e um parceiro que se conheça e em quem se confie.
  Como se engravida?
Quando a mulher estiver no seu período fértil e tiver uma relação sexual (com o pênis colocado na vagina da mulher0, e na ejaculação, o sêmen liberado for rico em espermatozóides (célula masculina), estes sobem através do útero e das tubas até encontrar o óvulo (célula feminina), ocorrendo a fecundação = a mulher está gravida.
  O que é o período fértil?
Após a menstruação (mais ou menos 14 dias depois) ocorre a ovulação, que é quando o ovário libera o óvulo. Neste dia, alguns dias antes e alguns depois é o período fértil, quando a mulher está apta a engravidar.
  Porque a mulher sangra quando menstrua?
Todo o mês o útero se prepara para receber o óvulo fecundado; forma-se no útero uma “camada fofa”, como se fosse um ninho onde o ovo recém chegado vai se prender e nutrir durante a gravidez. Quando isto não acontece, esta camada se desprende e sai pela vagina junto com sangue, e isto é o que chamamos de menstruação.
  Pode ter dor na primeira relação?
Se a menina vai para a primeira relação preocupada, com medo de engravidar, que seus pais descubram, insegura, etc., ela terá dificuldades de relaxar e, assim, não terá uma boa lubrificação. Com isso, ela pode sentir dor.
  Quando acontece dor na relação?
A dor na relação pode acontecer ou porque a menina está tensa, e então não tem uma boa lubrificação, se a penetração for muito violenta pode machucar e Ter dor, ou raramente por algum problema físico. Quando a relação for tranqüila com os dois bem preparados sabendo o que estão querendo e a menina sentir dor forte na relação, deve procurar um médico para identificar e tratar o problema.
  O que é sexo oral?
Sexo oral é quando se estimula os genitais com a boca e a língua (chupa, beija, lambe).
  O que é sexo anal?
Quando a penetração não ocorre na vagina, mas no anus, chama-se sexo anal.
  O que é gozar?
Gozar é sentir prazer. Ter uma sensação de relaxamento que é chamada de orgasmo. No homem, geralmente acontece junto com a ejaculação.
  O que é orgasmo?
Orgasmo é a descarga da excitação sexual. É um momento de grande prazer, que acontece no ponto máximo da excitação sexual.
  O que é ejaculação?
É quando o homem libera o sêmen (líquido onde estão os espermatozóides).
  O corpo muda após a primeira relação sexual?
Não, o corpo não sofre nenhuma modificação após a relação sexual, apenas o hímen fica mais relaxado.
PERGUNTAS SOBRE MÉTODOS ANTICONCEPCIONAIS:

Camisinha Masculina
-         é o método mais comum;
-         funciona como contraceptivo e também como uma barreira de proteção em relação às doenças sexualmente transmissíveis e AIDS.
-         Não têm contra-indicação, nem necessitam de receita médica.
-         A maior desvantagem é causada pelas falhas de colocação ou vazamento durante o ato sexual.

  Engravida na primeira vez sem camisinha?
Se a mulher estiver no período fértil, sem nenhuma proteção, ela poderá engravidar. Basta uma relação sexual para engravidar.
  Camisinha atrapalha o sexo?
Não, a camisinha não deve atrapalhar o sexo, pelo contrário, com o seu uso, aumenta a confiança em relação à não contaminação por DSTs.

  Camisinha tira o clima?
Não, é só ser criativo e manter o clima durante a colocação.
  É preciso usar camisinha em todas as relações sexuais?
Sim, sempre, para se proteger das DSTs e de uma gravidez indesejada. 
  Pega AIDS usando camisinha?
As pesquisas mostram que o uso da camisinha é a melhor maneira de se prevenir a AIDS (durante a relação sexual).
  Camisinha previne todas as DSTs?
Sim, porque todo o conteúdo ejaculado na camisinha não entra em contato com a mucosa vaginal nem com o colo do útero da mulher.
  O que acontece se estourar a camisinha?
            Quando a camisinha se rompe o esperma cai dentro da vagina. Se a mulher estiver no seu período fértil, ela poderá engravidar. Além disso, se um dos parceiros tiver alguma DST, contaminará o outro. Funciona como se não estivesse usando a camisinha. 
  Qual o método mais seguro para não engravidar?
Para os adolescentes os métodos mais indicados e seguros são o anticoncepcional oral (pílula) e a camisinha.

Camisinha Feminina
O preservativo feminino tem a forma de uma camisinha de grandes dimensões que é inserida na vagina, recobrindo suas paredes, e deixando uma abertura voltada para fora, sobre os lábios da vagina. Portanto, tem o mesmo objetivo do diafragma, ou seja, evita a gravidez ao impedir que o esperma entre no útero e atinja o óvulo. Da mesma forma que o preservativo masculino, também é um método bastante eficiente para se proteger contra doenças sexualmente transmissíveis, principalmente a AIDS, e é descartável, ou seja, normalmente não deve ser reutilizado.
  Existe camisinha feminina?
            Sim, mas ainda não é muito conhecida.
  Como se coloca a camisinha feminina?
            Antes da relação sexual, a mulher segura o anel que está no fundo da camisinha (anel flexível), colocando no fundo da vagina, onde este anel se acomoda no colo do útero, cobrindo-º O outro anel fica para fora da vagina, acomodando-se na vulva.

PÍLULA

  A pílula é garantida?
  A pílula prejudica o futuro da mulher?
Não, a pílula não costuma prejudicar o futuro da mulher.
As pílulas são hormônios sintéticos similares ao estrógeno e progesterona, os hormônios naturais produzidos pelo corpo da mulher. As pílulas atuam prevenindo a ovulação, ou seja, o óvulo não é liberado pelo ovário, como ocorre normalmente, aproximadamente no meio do ciclo menstrual. Deste modo não ocorre fertilização pelo esperma.
            Para começar a tomar, a adolescente deve consultar um médico, que lhe indicará a mais indicada e a forma de utilização.

CONHEÇA UM POUCO MAIS SOBRE OUTROS MÉTODOS:
TABELINHA:
A tabelinha é um método baseado em cálculos sobre a possibilidade da mulher engravidar em épocas diferentes do Ciclo Menstrual.

Teoricamente a mulher é fértil no meio do seu ciclo. Ou seja nos ciclos mais comuns de 28 a 30 dias a fertilidade máxima seria entre o 13º 14º e 15º dia, contando o primeiro dia da menstruação como dia 1º.

Mas isto é válido para quem quer engravidar e não para quem quer evitar.
Lembre-se: a tabelinha é um método muito falho, sobretudo em adolescentes, em função das alterações hormonais.

INJEÇÕES:
Injeções de hormônios sexuais femininos, que impedem que a mulher ovule, impossibilitando desta forma a gravidez. Portanto, funcionam como a pílula, com a diferença de que, ao invés de tomar oralmente todos os dias, pode ser aplicado a cada três meses, ou mensalmente. Pode ser usado por mulheres que estejam amamentando e não oferece risco de câncer no seio nem no colo do útero.

As principais indicações das injeções são para as mulheres que esquecem a pílula, que não podem tomar a pílula via oral, e para as mulheres que tem de esconder o uso de anticoncepcional.

DIAFRAGMA:
O diafragma é uma pequena capa de borracha ou de silicone que deve ser colocada na vagina pela mulher antes de cada relação sexual, de tal modo que obstrua a entrada (colo) do útero.
É um método de barreira, pois, da mesma forma que a camisinha, este método impede que os espermatozóides atinjam o útero, impedindo a fertilização do óvulo.

Seu uso exige atenção e muita responsabilidade por parte da mulher, que não pode esquecer de colocá-las antes da relação sexual. Antes da primeira colocação, o médico deve fazer um exame e determinar o tamanho adequado. Existem poucas contra-indicações: não serve para mulher virgem, evidentemente, ou que tenha algum problema no colo do útero.

O diafragma, ao contrário da camisinha, pode ser lavado e reutilizado diversas vezes, durando um tempo relativamente longo. Para ser eficiente, o ideal é que ele seja usado com um creme espermaticida, e colocado 15 a 20 minutos antes da relação. Ele pode ser retirado de 6 a 8 horas depois da relação, lavado com água e sabão, secado e guardado no estojo próprio.

DIU
O DIU ou Dispositivo Intra-Uterino é uma pequena peça com hastes de cobre ou polietileno que são introduzidas dentro do útero. Ele funciona impedindo que o óvulo fecundado se implante na parede do útero, e atua também nas trompas e no espessamento do muco cervical (na entrada do útero). Existem diversos tipos de DIU, com formatos e formas de atuação variados. Para colocá-lo, a mulher deve consultar seu ginecologista.

 
LIGADURA NAS TROMPAS

É um método permanente para as mulheres que decidiram não ter mais filhos. Este método consiste em ligar e cortar as Trompas de Falópio, para impedir que o óvulo atinja o útero, e dessa forma seja fecundado e implantado. A eficácia desse método é muito alta, mas não chega a 100%, pois falhas na operação fazem com que aproximadamente uma em cada 300 mulheres engravide depois da ligadura.

VASECTOMIA
A vasectomia, também conhecida como esterilização masculina, é um procedimento nos quais os vasos deferentes (tubos que conectam os testículos ao pênis) são cortados. Quando estes tubos são cortados, a passagem dos espermatozóides produzidos pelos testículos é bloqueada, e assim o esperma liberado durante a ejaculação é incapaz de fertilizar o óvulo, prevenindo desta forma a gravidez.

PERGUNTAS SOBRE MASTURBAÇÃO:

  O que é masturbação?
Masturbação é quando, tanto o menino quanto a menina estimulam seus genitais para obter prazer. 
  Masturbar-se vicia?
Não.
  Sexo com as mãos faz mal?
Não, sexo com as mãos chama-se masturbação e não faz mal. Ë uma coisa boa que ajuda a pessoa a conhecer melhor o próprio corpo e seu prazer, preparando-a, assim, para a relação sexual.
  Como o homem se masturba?
O homem se masturba estimulando (tocando, manipulando) seu pênis com as mãos.
  Como a mulher se masturba?
A mulher se masturba estimulando seu clitóris e sua vagina com as mãos (ou com objetos, como o vibrador, por exemplo).
  Masturbação interfere na vida sexual?
A masturbação não prejudica a vida sexual de ninguém, a não ser que ela seja feita em excesso, quando a pessoa só encontra prazer masturbando-se, não buscando outras formas de satisfação. Isso acontece quando a masturbação passa a ser a principal preocupação da pessoa, e acaba atrapalhando seu trabalho, relacionamentos, etc.
  Masturbar-se demais faz mal?
A resposta aqui seria a mesma da pergunta anterior. Não...
  Pega doença pela masturbação?
Não.
  Qual é a transformação do corpo com a masturbação?
O corpo não sofre nenhuma modificação por causa da masturbação.

DADOS
TODO ANO:
        1 em cada 20 adolescentes contraem uma DST;
        1 em cada 4 abortos realizados são em adolescentes;
        pelo menos 120 milhões de mulheres engravidam sem planejar;
        20 milhões de mulheres colocam sua saúde e vida em risco, por causa de abortos;
        acontecem 330 milhões de novos casos de DSTs, e 1 em cada 20 adolescentes é infectado;
        HIV infecta 5,2 milhões de pessoas, mais da metade delas são jovens com menos de 24 anos.

IBGE:
        36 milhões de adolescentes no Brasil;
        até os 19 anos, ao menos ¾ dos adolescentes têm vida sexual ativa;
        1 de cada 13 adolescentes engravidam, por ano;
        600 mil partos de adolescentes por ano;
        estimativa de 500 mil abortos por ano.

UNICEF:
        No mundo: 15 milhões de partos de adolescentes entre 15 e 19 anos.

NO BRASIL:
        1 milhão de partos de adolescentes por ano

Para pensar:
      A sexualidade é um campo muito amplo da vida, abrangendo todas as áreas do ser e do viver. Sexualidade vai muito além de “sexo” e “transa”. Por isso mesmo, é tão importante.
      Envolvimento emocional deve vir antes de sexo.
      Considere as conseqüências de uma relação muito íntima bem antes de chegar a essa fase. Decida o que é certo ou errado para você e aprenda a dizer não.
      Um bom relacionamento deve ser enriquecedor; as diferenças podem ser excitantes; um relacionamento sadio não é exclusivista e deve sempre contribuir para sua auto estima.

       Ser responsável é ter consideração pelos demais. É importante ser responsável nos relacionamentos. A irresponsabilidade acaba provocando problemas.